A Marinha informou nesta 3ª feira (8) que o vazamento de óleo que atinge o Nordeste desde 2 de setembro é uma ocorrência “inédita” por atingir “grande parte do nosso litoral”. 

O órgão é responsável pelas investigações das manchas que atingem as praias em todo o litoral nordestino. A operação conta com o auxílio de 5 navios e uma aeronave e envolve 1.583 militares e conta com a ajuda de embarcações e viaturas das capitanias dos portos, delegacias e agências estaduais da região para as buscas.

Segundo a Marinha, 1 IAFN (Inquérito Administrativo sobre Acidentes e Fatos da Navegação) já está sendo conduzido para apurar o caso. Estão sendo feitos procedimentos de análise do material coletado, exame dos dados sobre o tráfego marítimo na área e simulações computacionais sobre as influências de correntes no Atlântico Sul.

A origem das manchas ainda é um mistério. 138 localidades em 9 Estados diferentes já foram atingidas pelo óleo. *Poder 360

Anúncios