O tenista Daniil Medvedev, número 4 do mundo, conquistou neste domingo em Xangai seu segundo Masters 1000 consecutivo, depois de Cincinnati, ao vencer com facilidade na final o alemão Alexander Zverev por 6-4 e 6-1.

“Que noite!”, exclamou o russo de 23 anos ganhou três dos seis últimos torneios que disputou desde Wimbledon.

Além de em Cincinnati e Xangai, ele venceu o torneio de São Petersburgo. E nos outros três que não ganhou (Washington, o M1000 de Montreal e o US Open), chegou à final. Este ano já soma quatro títulos e é o tenista com mais partidas vencidas (59).

“Você é provavelmente o melhor jogador do mundo neste momento. Você fez seis finais seguidas, é realmente o melhor”, declarou ao final da partida Zverev, que não havia perdido para o moscovita em seus quatro duelos anteriores.

O russo precisou de apenas 74 minutos para garantir a vitória, o que dá uma ideia do espetacular nível que está atingindo nos últimos meses.

Medvedev entrou rapidamente no jogo neste domingo, ao contrário de seu adversário, e logo abriu uma vantagem de 3-0. O alemão foi despertando paulatinamente e conseguiu empatar 3-3. Mas com duas duplas faltas seguidas, suas duas primeiras na partida, Zverev cedeu o primeiro set ao russo.

No seguinte, Medvedev conseguiu o break e abriu 2-0 em um game em que Zverev dominava 40-0. A partir dessa quebra, o número 4 do mundo caminhou tranquilamente rumo à vitória.

Após este torneio, o russo ultrapassa Federer e se coloca em terceiro na ‘Race’, a classificação que determina os oito melhores jogadores do ano, que se classificam para o Masters de Londres (10-17 de novembre). Medvedev já estava garantido mas Zverev, vencedor do Masters do ano passado, ainda não está.

O alemão está em sétimo na corrida rumo ao Masters, enquanto que Berrettini é o oitavo. Eles ocupariam os dois últimos postos, mas outros cinco tenistas os ameaçam, no momento em que ainda resta um Masters 1000 a ser disputado, o Paris-Bercy (28 de outubro-3 de novembro).

São eles: Roberto Bautista (9º), derrotado por Berrettini nas oitavas e que o ultrapassou na ‘Race’, David Goffin (10º), Fabio Fognini (11º), Kei Nishikori (12º), lesionado e que não joga desde o US Open, e Gael Monfils (13º). *AFP