Milhares de separatistas catalães furiosos tomaram as ruas nesta segunda-feira (14) e tentaram paralisar o aeroporto de Barcelona, ​​depois que nove de seus líderes foram condenados a penas de prisão pela tentativa de secessão da Catalunha em 2017.

A polícia de choque acusou repetidamente centenas de militantes que tentavam entrar no terminal e atiravam pedras e lixo, disse a AFP.

Desde o anúncio de sentenças que variam de 9 a 13 anos de prisão, ocorreram comícios espontâneos na metrópole catalã antes da entrada dos militantes, por convocação de um movimento anônimo chamado “Tsunami Democrático”, no aeroporto para bloqueá-lo.

Segundo os serviços de emergência, que não especificaram a gravidade das lesões, 56 pessoas ficaram feridas, incluindo 53 no aeroporto.

110 vôos foram cancelados, de acordo com o gerente do aeroporto Aena, enquanto os viajantes foram obrigados a deixar seus veículos na estrada para chegar ao terminal a pé com suas malas.

Esses doze independentes foram julgados por terem organizado em 1 de outubro de 2017, apesar da proibição da justiça, um referendo de autodeterminação, salpicado de violência policial, seguido pela proclamação no dia 27 do mesmo mês de uma declaração vã de independência do Parlamento catalão.

Essa tentativa de secessão foi a pior crise política do país desde o final da ditadura de Franco em 1975.

“Não é justiça, é uma vingança”, denunciou em comunicado conjunto os nove separatistas condenados.*AFP