A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, nomeou os três vencedores deste ano do Prêmio UNESCO-Japão em Educação para o Desenvolvimento Sustentável (ESD).

Os projetos Fundação Amazonas Sustentável (Brasil), Camphill Community Trust (Botsuana) e a cidade de Hamburgo (Alemanha) foram os vencedores. Cada um dos premiados receberá 50 mil dólares, em uma cerimônia que ocorrerá na sede da UNESCO em 15 de novembro, durante a Conferência Geral da Organização.

A Fundação Amazônia Sustentável venceu o prêmio por seu projeto “Educação Relevante para o Desenvolvimento Sustentável em Comunidades Remotas da Amazônia”, cujo foco é a geração de renda baseada em florestas, conservação ambiental e qualidade de vida.

Com o objetivo de “tornar as florestas mais valiosas em pé do que cortadas”, o programa é implementado em 581 comunidades remotas por meio da capacitação e do empoderamento das comunidades. Nove centros de conservação e sustentabilidade em toda a Amazônia servem como plataformas para alavancar soluções adaptadas de desenvolvimento sustentável.

Os vencedores do Prêmio UNESCO-Japão em Educação para o Desenvolvimento Sustentável deste ano foram escolhidos por um júri internacional independente, a partir de um número recorde de 115 indicações, apresentadas pelos governos de 63 Estados-membros da UNESCO e dez organizações em parceria oficial com a UNESCO.

Os principais critérios de seleção foram o potencial de transformação, qualidade inovadora e capacidade de abraçar todas as três dimensões da sustentabilidade: economia, sociedade e meio ambiente.

Financiado pelo governo do Japão, o prêmio foi estabelecido pelo Conselho Executivo da UNESCO no âmbito do Programa de Ação Global sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável, para mostrar e recompensar projetos e programas nesta área. Esta é a quinta edição do prêmio. *Nações Unidas

Anúncios