Antonio Costas, vice-presidente do Supremo Tribunal Eleitoral da Bolívia, apresentou sua renúncia na terça-feira (22) pouco antes do final do escrutínio das eleições de domingo. O incidente ocorreu em meio a protestos por supostas fraudes.

Costas argumentou que sua renúncia é irrevogável devido à decisão tola com a qual o corpo eleitoral divulgou resultados preliminares.

Nesta segunda-feira, o corpo eleitoral repentinamente emitiu uma contagem provisória, preliminar e não oficial, que deu ao presidente Evo Morales a vitória no primeiro turno – apesar do fato de que no domingo ele parou quando apontou para um segundo turno com o oponente Carlos Mesa-, o que levou a protestos violentos no país.

Costas disse na carta de demissão – perante o vice-presidente do país, Álvaro García Linera – que ele não participou da decisão, o que levou ao descrédito de todo o processo eleitoral e causou uma revolta social desnecessária.

A demissão atinge quase 95% do escrutínio oficial, com Morales à frente com 46,24% e Mesa com 37,28%.

A recontagem feita em um hotel em La Paz foi transferida para a sede do tribunal eleitoral em uma praça próxima, onde ocorrem protestos contra a suspeita de fraude em favor de Morales. *El Nacional

Anúncios