A “luta do século” entre a lenda do boxe Muhammad Ali e George Foreman, em 30 de outubro de 1974 em Kinshasa, será exibida em Aubervilliers (Seine-Saint-Denis) através de uma instalação que mistura fotos e pinturas de época , esculturas e performance artística.

“Encontramos um velho senhor, Francis Matton, fotógrafo oficial da luta, e o presidente (do ex-Zaire) Mobutu, que possui imagens inéditas das cenas da luta, de Mohammed Ali com a população zairense, de cara a cara com James Brown “, diz Bruno Scaramuzzino, diretor da exposição que abre no sábado.

São apresentadas quase 100 obras, incluindo criações especialmente criadas para a exposição de artistas franceses e africanos contemporâneos, especialmente da República Democrática do Congo (antigo Zaire).

Uma história em quadrinhos narra a efervescência da capital Kinshasa nos anos 70 e o boxe vem na forma de pinturas e esculturas de arte pop.

“Essa luta permaneceu na memória dos congoleses, foi a convergência de negros americanos e africanos e a recusa da Guerra do Vietnã” por Ali, disse o colecionador que também convidou grafiteiros para reconstruir a luta memorável.

No coração da noite de 30 de outubro de 1974, o americano Ali retomou seu título mundial de pesos pesados ​​de seu jovem compatriota Foreman, o oitavo renascimento de uma batalha tática em que esgotou e irritou seu oponente, na frente de quase 100.000 espectadores adquiridos para sua causa.

A exposição “The Rumble in the Jungle” será aberta ao público de 26 de outubro a 28 de novembro no Boxing Beats em Aubervilliers, um local icônico do boxe dirigido pelo ex-campeão francês do mundo. 

“Tiramos a arte dos guetos de ouro e o público pode passear entre arte e arte nobre”, resume Bruno Scaramuzzino. *AFP