Chamas estão queimando perto de Los Angeles, ao norte de São Francisco.

Entre incêndios e apagões setores importantes da economia, como a indústria e a agropecuária, enfrentam as dificuldades dessa nova realidade.

Um estúdio de Hollywood já foi tragado pelo fogo, o bombeamento de água utilizada nos processos industriais fica comprometida pela falta de energia.

Da mesma forma a agricultura fica igualmente prejudicada na utilização da água em serviços gerais e principalmente na irrigação.

Enquanto os incêndios provocam um estado de emergência, a Califórnia está se preparando para o maior e mais longo apagão deliberado de todos os tempos.

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, declarou estado de emergência nesta sexta-feira em partes da região vinícola do estado e Los Angeles, enquanto as chamas queimam dezenas de milhares de acres e mandam os moradores fugir. 

Para evitar que as linhas de energia causem mais incêndios, a gigante de serviços públicos PG&E Corp. está se preparando para cortar energia para potencialmente milhões de pessoas no sábado, em antecipação à tempestade de vento mais forte dos últimos anos.

Enquanto incêndios florestais ocorrem nos dois extremos da Califórnia. Perto de Los Angeles, as chamas levaram as autoridades a pedir 40.000 evacuações.

No norte, o incêndio conhecido como Kincade está entre as vinhas do Condado de Sonoma, levando as autoridades a ordenar que mais de 2.000 pessoas evacuem. 

Enquanto muitos dos incêndios estão queimando encostas abertas e lavando terras, outros ameaçam áreas povoadas. No total, existem cerca de US $ 12 bilhões em propriedades a menos de um quilômetro e meio dos incêndios ativos, disse Chuck Watson, um modelador de desastres da Enki Research, registra o Bloomberg.

Anúncios