A final em jogo único da Copa Libertadores, entre Flamengo e River Plate, da Argentina, será jogada em Santiago, garantiu nesta quinta-feira (25) o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, confiando em que a capital chilena voltará à normalidade até a data do jogo, 23 de novembro.

“A final única se mantém em Santiago do Chile. Santiago é a sede. Este momento vai passar. A normalidade voltará”, declarou o dirigente sul-americano à rádio 1080 AM, de Assunção.

“Com certeza a partida será um tremendo sucesso”, continuou Domínguez, que concedeu a entrevista à rádio paraguaia direto de Xangai, na China, onde participou de uma reunião do Conselho da Fifa.

O Chile atravessa momento político conturbado em meio a violentos protestos e saques em várias partes do país, com 18 mortes confirmadas até o momento.

A final será jogada em partida única pela primeira vez desde a criação da Copa Libertadores, em 1960.

Domínguez revelou que, antes da definição dos finalistas da Libertadores, “já tínhamos 200.000 pessoas na lista de espera” por um ingresso para o jogo decisivo. “Agora que se sabe (que o jogo será entre Flamengo e River Plate), com certeza a procura vai ser ainda maior”.

O campeão da Libertadores receberá premiação de 12 milhões de dólares, enquanto o vice levará 6 milhões, valores que o presidente da Conmebol comemorou ao lembrar de quanto seu time de coração, o Olimpia paraguaio, recebeu ao conquistar a edição de 2002.

“O total de premiação que o Olimpia recebeu foi de 1,25 milhão de dólares. O salto que a Copa Libertadores deu é enorme. Hoje, distribui uma fortuna”, enfatizou.

Cada finalista também receberá bônus de 1 milhão de dólares, equivalente a 25% da arrecadação com venda de ingressos. *AFP

Anúncios