As trotinetes elétricas chegaram às principais cidades europeias como uma boa alternativa para a mobilidade, no entanto, tem sido difícil a convivência entre peões, os automobilistas e os utilizadores destes veículos.

O estacionamento desregulado e os acidentes têm obrigado os países a criar nova legislação.

França, por exemplo, publicou na quinta-feira (24) um novo código da estrada onde estipula que estes veículos estão proibidos de circular a uma velocidade superior a 25 quilômetros por hora. Apanhados em falta, os utilizadores podem pagar uma multa de 1500 euros. A partir de agora, os utilizadores terão de utilizar, sozinhos, as trotinetes, não podem usar auscultadores, para que possam ouvir os ruídos do trânsito e devem ter, pelo menos, 12 anos. Em caso de incumprimento, a multa será de 35 euros.

A partir de agora, é necessário utilizar ciclovias ou, à falta delas, ruas limitadas a menos de 50 km por hora. Se, em teoria, conduzir num passeio é punível com 135 euros de multa, cada cidade pode autorizar a circulação em alguns desses espaços, se considerar que têm largura suficiente.

Em outros países europeus, a questão é igualmente preocupante. Em julho, o Reino Unido ficou chocado com a morte de uma youtuber num acidente com uma trotinete elétrica. No país, estes veículos estão proibidos de circular nos passeios ou nas estradas. Os polícias são indulgentes se os utilizadores estiverem bem equipados com capacetes.

Este último não é obrigatório em todos os países. Em França, só é exigido fora das zonas urbanas e em Espanha só é exigido para os menores de 16 anos.

Embora França tenha acabado de publicar uma nova legislação esta é menos severa do que a dos vizinhos europeus. A idade mínima do condutor foi fixada em 12 anos, mas na Alemanha ou em Espanha é de, pelo, menos 14.

Em Portugal, há quem exija mais regulação e fiscalização. Embora as regras estipulem que as trotinetes não podem circular a mais de 25 quilômetros por hora, há casos em que estes veículos chegam a atingir os 80 quilômetros hora.

Em Lisboa, a autarquia proibiu a circulação das trotinetes elétricas em várias ruas e o estacionamento abusivo é alvo de multas. Segundo os dados divulgados pela autarquia, a Polícia Municipal cobrou mais de 17 mil euros em multas por trotinetes mal estacionadas entre fevereiro e junho deste ano e mais de 1800 veículos foram removidos do centro da capital portuguesa, em cinco meses. *Euronews

Anúncios