O presidente Donald Trump anunciou neste domingo (27) que o fugitivo líder do Estado Islâmico Abu Bakr al-Baghdadi morreu em um ataque das forças especiais dos EUA no noroeste da Síria, em um grande golpe para o grupo jihadista.

“Ele era um homem doente e depravado e agora se foi”, disse Trump.

Trump disse que “muitas” pessoas de Baghdadi foram mortas e acrescentou que, ao se matar, Baghdadi também matou três crianças.

As forças americanas não sofreram perdas de pessoal, disse ele. Ele também agradeceu a Rússia, Turquia, Síria e Iraque por seu apoio.

Há muito que Baghdadi era procurado pelos Estados Unidos como chefe de um grupo jihadista que em um momento controlava grandes áreas da Síria e do Iraque, onde declarava um califado. O Estado Islâmico realizou atrocidades contra minorias religiosas e ataques nos cinco continentes em nome de uma versão de um Islã ultra-fanático que horrorizou os muçulmanos comuns.

“O bandido que se esforçou tanto para intimidar os outros passou seus últimos momentos com total medo, pânico e pavor, aterrorizado com as forças americanas caindo sobre ele”, disse Trump.

Trump disse que Baghdadi morreu após encontrar um túnel sem saída.

Baghdadi se matou durante o ataque ao detonar um colete suicida, disse Trump em um discurso televisionado da Casa Branca. *Com informações do jornal Israel Hayom

 

Anúncios