Tudo está agitado na província de Pinar del Rio, a cerca de 150km a oeste de Havana, onde uma fábrica moderna de secagem de arroz está em construção com o apoio da China.

“Iniciamos as obras de terraplenagem em março de 2017, e atualmente o trabalho está em 65 por cento de sua execução”, disse à Xinhua o principal especialista do projeto, Fernando Gonzalez.

                                        Siga Avante Mundo no  Facebook e Twitter

A fábrica, uma das cinco apoiadas pela China em diferentes partes da ilha, terá um galpão de secagem e dois silos de armazenamento com capacidade para 500 toneladas cada, além de um laboratório e instalações para descarregar e limpar o grão.

A fábrica de secagem de arroz poderá processar 37 toneladas de arroz por dia, um alimento básico no país insular.

Gonzalez, 60 anos, supervisionou a construção da fábrica e instalação da moderna tecnologia fornecida pela empresa chinesa Muyang Group, que presta consultoria profissional na montagem das máquinas.

“É a tecnologia mais moderna que temos, não apenas em Pinar del Rio, mas no país”, disse Gonzalez enquanto visitava as instalações da fábrica.

Gonzalez expressou sua crença de que, uma vez que a unidade de secagem esteja operando, ela produzirá produtos de alta qualidade sem impurezas.

A pedido de parceiros cubanos, especialistas chineses incorporaram ao projeto um forno no qual a casca de arroz seria queimada para fornecer vapor de água ao sistema de secagem.

Como as cinzas da casca são ricas em potássio, elas seriam coletadas e usadas como fertilizante agrícola.

Também está em construção um canal de 8km da represa de El Punto, que irrigaria a terra em mais de 2.000 hectares.

“Agora tudo estará próximo: consultoria técnica, água para irrigação e a fábrica de secagem de arroz. Esperamos que essas possibilidades se transformem em altos níveis de produção”, disse Jesus Maurence, especialista da Empresa Agroindustrial de Grãos Pinar del Rio.

Com um rendimento esperado de 4,3 toneladas por hectare, Pinar del Rio produzirá cerca de 73.800 toneladas de arroz em casca úmido em 2019.

A província pretende cultivar arroz em cerca de 60.000 hectares em 2020, um número que corresponderia a todo o potencial de produção no extremo oeste da ilha na década de 1980. *Xinhua (agência de notícias oficial da China)