O chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, afirmou que a TV Globo quer “desestabilizar” o país e “fomentar” manifestações populares como as que estão ocorrendo em outros países da América Latina.

Heleno foi o segundo do alto escalão do governo a se manifestar – o primeiro foi o vice-presidente Hamilton Mourão, atual presidente em exercício – após o nome do presidente Jair Bolsonaro ser citado pelo porteiro do prédio residência do presidente, nas investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

Pelo Twitter, Heleno chamou a TV Globo de “sensacionalista” e acusou a emissora de usar “levianamente” o depoimento de um porteiro para “desestabilizar” Bolsonaro a qualquer custo.

 

Anúncios