O Departamento de Interior dos Estados Unidos proibiu o voo de seus drones fabricados na China ou com componentes chineses, dispositivos que, segundo Washington, podem representar um risco à segurança nacional.

O secretário David Bernhardt “revisa o programa de drones” do departamento e “ordenou que os drones fabricados na China ou com componentes chineses sejam proibidos de voar”, explicou um porta-voz em comunicado nesta quinta-feira.

O Departamento de Interior possui 810 drones: 786 fabricados na China e 24 nos Estados Unidos com peças chinas.

A empresa chinesa DJI é líder desta tecnologia, com 70% do mercado mundial.

O Ministério de Relações Exteriores chinês informou nesta sexta que ainda buscava “uma maior compreensão da situação”, mas pediu para os Estados Unidos criarem um “entorno não discriminatório para empresas chinesas”.

“Pedimos aos Estados Unidos que deixem de abusar do conceito de segurança nacional, deixem de exagerar a chamada ‘ameaça da China’ e deixem de oprimir as empresas chinesas sem razão”, disse o porta-voz do ministério chinês, Geng Shuang, em coletiva de imprensa.

A diretriz não afeta os aparelhos “atualmente utilizados para emergências, como o combate a incêndios, as operações de resgate, as catástrofes naturais que possam colocar vidas e propriedades em risco”.

“Estamos muito decepcionados”, disse à AFP uma porta-voz da DJI, acrescentando que a empresa não tem mais comentários por ora.

O governo Trump já proibiu empresas americanas de vender artigos tecnológicos da chinesa Huawei. *AFP

Anúncios