O governo de El Salvador deu aos diplomatas da Venezuela, neste sábado (02), acreditados no país centro-americano um prazo de 48 horas para abandonarem o país, ao não reconhecer a legitimidade do presidente Nicolás Maduro.

O governo de El Salvador decidiu expulsar os membros do corpo diplomático da Venezuela, segundo declaração da administração do presidente salvadorenho.

“O governo de El Salvador expulsa o corpo diplomático do regime de Nicolás Maduro, sendo coerente com as reiteradas declarações do presidente Nayib Bukele, nas quais não reconhece a legitimidade do governo de Maduro”, anunciou o executivo salvadorenho em um comunicado.

A nota explica que a decisão foi tomada em concordância com o voto salvadorenho na Organização de Estados Americanos (OEA), a qual apoia um informe da Alta Comissária para os Direitos Humanos das Nações Unidas sobre as violações sistemáticas dos direitos humanos dos venezuelanos.

“O governo de El Salvador dá 48 horas a todo o corpo diplomático do regime de Maduro para abandonar o território do país”, diz a declaração.

“El Salvador sempre estará a favor da Democracia e defende os Direitos Humanos, por isso apoiará votações livres, supervisadas pela comunidade internacional e que garantam a vontade do povo irmão da Venezuela”, concluiu o comunicado de Casa Presidencial.

Reação dos EUA

O embaixador dos EUA em El Salvador, Ronald Johnson, aplaudiu a medida da administração Bukele e afirmou que o mandatário salvadorenho se pôs “do lado correto da história” ao reconhecer Guaidó como “presidente interino da Venezuela”.

Nos unimos ao povo venezuelano e seguimos comprometidos a lhe dar a ajuda que merecem.

Bukele assumiu a presidência de El Salvador no passado 1º de junho, e desde o início tomou distância da Venezuela e proclamou os EUA como seu grande aliado histórico. *Sputnik

Anúncios