Pesquisadores israelenses encontraram seis dentes humanos datados de 40.000 anos atrás, informou na terça-feira (05) a Universidade de Tel Aviv (TAU), localizada no centro de Israel.

Um estudo, liderado por pesquisadores da TAU e publicado no Jornal da Evolução Humana, examinou os dentes encontrados em uma caverna na região da Galiléia, no norte de Israel.

Com a pesquisa odontológica, a equipe determinou que os dentes pertenciam aos humanos modernos (Homo sapiens) e aos neandertais.

Os dentes foram encontrados em camadas arqueológicas pertencentes à rica e desenvolvida cultura aurignaciana, que apareceu pela primeira vez na Europa há cerca de 43.000 anos, e foi associado ao fim da era dos neandertais na Europa.

Os dentes descobertos são a primeira evidência antropológica de uma população que emigrou da Europa para o antigo Israel cerca de 40.000 anos atrás, provavelmente para ficar longe de condições climáticas extremas no último período glacial, segundo os pesquisadores.

Um dos dentes mostrou uma combinação de características de Neanderthal e Homo sapiens, que até o momento só foram encontradas em populações europeias a partir do final da idade da pedra, sugerindo sua origem comum, segundo a arqueóloga Rachel Sarig em declaração ao jornal The Time of Israel.

Recentemente, essa combinação também foi comprovada geneticamente, o que implica que os neandertais foram assimilados na Europa moderna.

Os pesquisadores disseram que “os dentes são os melhores preservados entre os ossos porque são feitos de esmalte, o material mais durável do corpo. Mais importante, a estrutura, a forma e a topografia dos dentes têm um forte componente genético que permite que os dentes sejam associados a populações específicas”. *Com informações da Xinhua (agência de notícias oficial da China)

Anúncios