O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), que quebrou a placa que fazia homenagem à vereadora Marielle no ano passado, foi às redes sociais na madrugada desta sexta-feira (8) para expressar sua indignação com a decisão do STF de derrubar as prisões após segunda instância e de abrir caminho para a liberdade do ex-presidente Lula.

O deputado ainda se ofereceu, como policial militar, para uma possível intervenção no Supremo.

STF é a vergonha do Brasil… Defensores da CF? Defensores do crime!”, escreveu Silveira. “Se precisar de um cabo, estou a disposição”, continuou, em tom de ameaça ao Supremo.

Em outro tuíte, o deputado publicou uma foto sua como policial militar ao lado de mais dois colegas durante operação na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. “Relembrar é viver… nesta época, tirei muitos vagabundos das ruas, apreendi, prendi, garanti viagens ao inferno… sempre dentro da legalidade, é claro… agora vem o STF e joga meu trabalho e de todos os outros policiais no lixo e envergonha o Brasil”, desabafou o ex-PM.

Dos cerca de 812 mil presos no país, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) informou que são 4.895 mandados de prisão para condenados em segunda instância. Em tese, eles podem ser beneficiados com a decisão do STF, dando mais tempo para que eles recorram em liberdade.

Portanto, trata-se de uma parcela pequena da população carcerária no país, algo que contrasta com a opinião pública, sustentada pelo deputado, de que “o STF joga o trabalho de todos os policiais no lixo”. Ainda, o próprio CNJ faz a ressalva de que, dependendo do caso, mesmo com uma decisão do STF favorável, o juiz do caso poderá decretar uma ordem de prisão cautelar. *Revista Forum

Anúncios