As Forças Armadas da Bolívia, na voz do comandante em chefe do Exército, Williams Kaliman,  anunciaram neste sábado (9) sua recusa em confrontar cidadãos no âmbito de protestos antigovernamentais registrados no país desde outubro.

Kaliman  informou que, diante da revolta social na Bolívia, garantirão a união entre compatriotas. “Não nos enfrentaremos e sempre vigiaremos a paz e o desenvolvimento de nossa pátria”, afirmou ele em comunicado na televisão. 

Espera-se que este anúncio encontre uma possível solução para os conflitos entre o governo de Evo Morales e a oposição .

O conflito na Bolívia começou na mesma noite em que as eleições presidenciais foram realizadas em 20 de outubro, após a suspensão da transmissão dos resultados oficiais, criando uma atmosfera de desconfiança na população.