Quando restam apenas algumas horas para a manifestação sob o lema “Toda a Venezuela desperta”, o regime de Nicolás Maduro apela a todos os recursos à sua disposição para impor medo e terror.

Desta vez, as Forças de Ações Especiais da Polícia Nacional da Venezuela (FAES) entraram na sede do partido Vontade Popular da oposição em Caracas, mantiveram os trabalhadores, os espancaram e tiraram seus telefones celulares e computadores. Eles também denunciaram o roubo de dinheiro e a destruição de câmeras de segurança.

Juan Guaidó Juan Guaidó, presidente interino e líder da formação, fez uma série de declarações nas quais repudiava o episódio: Basta que eles continuem ameaçando nosso povo. Vamos permanecer firmes e continuar “. E acrescentou: ” É isso que reflete o medo da ditadura. O medo das pessoas que permaneceram isoladas “.

Pessoas não identificadas, com capuzes e armas longas, entram violentamente na sede nacional do nosso partido @VoluntadPopular “, denunciou o deputado da oposição Juan Andrés Mejía.

Segundo informações divulgadas na tarde desta sexta-feira, pelo menos oito homens encapuzados chegaram à sede e mantiveram os trabalhadores que estavam lá. Segundo o oponente Freddy Guevara, houve “aproximadamente 43 pessoas sequestradas” no local, que foram liberadas mais tarde.

Além disso, eles disseram que os funcionários da FAES não se identificaram e não mostraram nenhum mandado de busca.

Vários porta-vozes da Vontade Popular pediram à população que não se intimide com esse tipo de ação e defendem o apelo à manifestação de amanhã, crucial para a crise que está ocorrendo desde janeiro passado.

Por seu lado, o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Julio Borges, alertou a comunidade internacional sobre o que aconteceu e disse que é “uma ação desesperada da ditadura antes da mobilização de amanhã”.

O representante do governo de Juan Guaidó também disse que a pressão nacional deve se unir à pressão internacional; em sua opinião, apenas dessa maneira o regime será fraturado, e convidou todos os venezuelanos a se mobilizarem amanhã para transmitir uma mensagem de luta e resistência. em frente à ditadura de Maduro. *Com informações do Infobae