A vida começa a voltar ao normal para parte dos jovens residentes de Hong Kong, apesar dos contínuos distúrbios. A maior parte das escolas reabriu, quase uma semana após terem fechado devido à espiral de violência entre policiais e manifestantes pró-democracia.

Nesta quarta-feira de manhã, estudantes passaram a retornar às salas de aula, embora jardins da infância e escolas para estudantes com deficiência permanecerão fechados até domingo.

Uma estudante de 15 anos disse: “Os estudantes precisam estudar; por isso, eu fico feliz pela reabertura da escola. Vou continuar participando de reuniões pacíficas para que o governo dê atenção às nossas reinvindicações.”

Enquanto isso, continua o impasse entre manifestantes e a polícia em uma universidade local.

Na terça-feira, a polícia afirmou ter detido 1,1 mil pessoas, mas que menores de 18 anos haviam sido liberados.

Já os problemas envolvendo o transporte estão sendo sanados aos poucos. No entanto, algumas vias, incluindo um túnel que liga a ilha de Hong Kong à Península de Kowloon, continuam bloqueadas por destroços espalhados por manifestantes.

A chefe do executivo de Hong Kong, Carrie Lam, pediu aos manifestantes que parem de usar a violência e de bloquear serviços de transporte às vésperas das eleições distritais programadas para o domingo. *NHK (emissora pública do Japão)