Representantes da equipe do grupo europeu PSA aprovaram nessa terça-feira (26) o projeto de fusão entre a fabricante francesa e sua concorrente ítalo-americana Fiat-Chrysler (FCA), informaram fontes sindicais.

O projeto foi “aprovado pela grande maioria dos representantes dos funcionários”, disse Patrick Michel, do sindicato Força Trabalhista, secretário do comitê do grupo europeu, cuja opinião era consultiva e que “reuniu os 28 representantes de 150.000 funcionários europeus da Peugeot, Citroën, DS, Opel e Vauxhall”.

Além da CGT (Confederação Geral do Trabalho, França), que não era “favorável” e do IG Metall (sindicato metalúrgico alemão) que “não se pronunciou”, as “outras organizações sindicais, que são 15 de 17, deram uma opinião favorável” ao projeto, disse Anh-Quan Nguyen, representante do quadro francês de quadros CFE-CGC, membro do comitê.

Na semana passada, o PSA já obteve a aprovação unânime dos representantes da equipe francesa.

Essa fusão permitirá à PSA e à FCA formar uma nova gigante automobilística, com capital igual e sem fechamento de fábrica.

O novo grupo, com mais de 400.000 funcionários, se tornará o quarto maior do mundo, com 8,7 milhões de veículos vendidos sob as marcas Fiat, Alfa Romeo, Chrysler, Citroën, Dodge, DS, Jeep, Lancia, Maserati, Opel, Peugeot e Vauxhall. *AFP