A líder da oposição peruana, Keiko Fujimori, foi libertada nessa sexta-feira (29), depois de mais de um ano em prisão preventiva.

Keiko Fujimori, que foi detida por suspeitas de corrupção num caso ligado à Odebrecht, vai esperar em liberdade o resultado da investigação sobre o alegado financiamento ilegal de campanhas eleitorais.

Centenas de apoiadores da filha do antigo presidente Alberto Fujimori e militantes do partido Força Popular esperaram a saída da líder.

No meio da multidão estava o marido de Fujimori. No início do mês, Mark Vito Villanella fez greve de fome para exigir a libertação da mulher.

A líder do Força Popular nega as acusações da Justiça peruana. Se for condenada, pode cumprir uma pena entre 10 a 16 anos de prisão. *Euronews