A Polícia Federal prendeu, nesta quarta-feira (4), três indígenas e cinco madeireiros durante a operação Ybyrá, em Mato Grosso.

Os presos são acusados de integrar uma organização criminosa que atua no processo de extração ilegal de madeira, da espécie aroeira, na Terra Indígena Sararé, que fica no município de Conquista D’Oeste. Outras quatro pessoas não foram localizadas e são consideradas foragidas.

Foram cumpridos ainda 13 mandados de busca e apreensão. Uma grande propriedade rural foi apreendida por ter adquirido madeira da área. Segundo o delegado Adair Gregório, os indígenas permitiam a exploração na reserva mediante pagamentos periódicos.

De acordo com o delegado, as investigações começaram em 2017, quando houve uma fiscalização no interior da terra indígena com a participação da Funai e do Ibama, que resultou em uma prisão em flagrante.

Desde então, foram apreendidas mais de mil e 200 lascas de aroeira avaliadas em mais de 50 mil reais. O corte dessa espécie de madeira em floresta primária está proibido há 28 anos por portaria do Ibama.

Os indígenas e madeireiros presos foram levados à delegacia do município mato-grossense de Cáceres. Eles vão responder pela prática de crimes ambientais e organização criminosa, assim como as pessoas identificadas durante as investigações como compradoras da madeira ilegal. *Agência Brasil