Os países signatários do Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR), reunidos em Bogotá, aprovaram na terça-feira (3) sancionar parentes do regime Nicolás Maduro, informou o Ministério das Relações Exteriores da Colômbia em comunicado.

As 29 pessoas, incluindo Diosdado Cabello, enfrentarão sanções econômicas e “medidas de restrição de entrada e trânsito” nos estados membros do Tratado, informou o boletim.

A Organização dos Estados Americanos (OEA), o órgão depositário do acordo, publicou a lista dos sancionados e a ata da reunião com os pontos aprovados na sessão plenária, segundo a AFP.

“É a primeira lista apresentada, essas 29 pessoas e suas famílias não poderão abrir nenhuma conta bancária (banco), em nenhum dos países, não poderão passar pelos aeroportos desses países e existem várias outras que eles também serão sancionados na próxima reunião “, disse à imprensa Carlos Trujillo, embaixador dos EUA na OEA.

A reunião, presidida pela ministra das Relações Exteriores da Colômbia, Claudia Blum, contou com a presença de delegadas da Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Estados Unidos e o representante do presidente responsável. Venezuelano, Juan Guaidó.

Os detalhes da discussão interna e a posição de cada país a esse respeito não são conhecidos.

Em 23 de setembro, 16 dos 19 países membros do pacto de defesa do TIAR resolveram identificar entidades e pessoas associadas ao regime Maduro envolvidas em atividades ilegais e ligadas a redes transnacionais de crime organizado.

Os Estados Unidos, que lideram a campanha internacional para remover Maduro, que ele considera um “ditador”, já impuseram medidas punitivas contra mais de cem funcionários e ex-funcionários da Venezuela, incluindo Cabello e mais de 80 entidades.

Na Colômbia, o governo de Iván Duque também proibiu a entrada de Maduro e 200 de seus “colaboradores” no país em janeiro.

Maduro, por outro lado, definiu a reunião do TIAR em Bogotá como um fracasso. “Foi uma reunião de fantoches, de palhaços”, disse ele.

A lista consiste em:

1. Nicolás Maduro
2. Cilia Flores
3. Diosdado Cabello
4. Marlene Contreras de Cabello
5. José David Cabello
6. Jorge Arreaza
7. Luis Damiani
8. Arcadio Delgado
9. Tarek El Aissami
10. Rafael Franco
11. Alexander Gramcko
12. Gladys Gutiérrez
13. Hannover Guerrero
14. Ivan Hernández Dala
15. Tibisay Lucena
16. Carlos Malpica
17. Juan José Mendoza
18. Maikel Moreno
19. Calixto Ortega
20. Vladimir Padrino
21. Manuel Quevedo
22. Delcy Rodríguez
23. Jorge Rodríguez
24. Tarek William Saab
25. Lourdes Suarez
26. Iris Varela
27. Carmen Zuleta de Merchán
28. Raul Gorrín
29. Alex Saab

*Com informações do NTN24