Durante três dias, o Presidente chinês usou o 20.º aniversário da transferência de poderes em Macau para marcar posição face ao mundo.

“A vontade do governo chinês e do povo chinês de defender a soberania nacional, garantir a segurança e o desenvolvimento estão firmes como uma rocha,” afirmou Xi Jinping no discurso após a posse do novo chefe do executivo.

O chefe de Estado vai ainda mais longe: “Definitivamente não vamos permitir que forças externas interfiram nos assuntos de Hong Kong e Macau.”

A bandeira chinesa voltou a ser hasteda ao lado da macaense, tal como há 20 anos, quando Portugal transferiu para a China a governação do território. Um ato simbólico, tal como quase todos os passos da visita a Macau.

Xi Jinping enalteceu o “patriotismo” e “unidade” da sociedade local como ingredientes para o sucesso da fórmula ‘um país, dois sistemas’, numa altura de crise política na região vizinha de Hong Kong, cuja transferência de soberania do Reino Unido para a China ocorreu sob o mesmo modelo de governação, que garante autonomia ao nível dos poderes executivo, legislativo e judicial.

“O sucesso de Macau revela que a implementação da fórmula [‘um país, dois sistemas’] pode durar apenas enquanto podermos garantir que não é distorcida”, afirmou Xi Jinping. *Euronews