Milhares de pessoas voltaram a manifestar-se neste sábado em várias cidades indianas contra a nova lei da cidadania, considerada discriminatória.

Adotado a 11 de dezembro, o texto facilita a obtenção da cidadania indiana a refugiados do Afeganistão, Bangladeche e Paquistão, com exceção para os muçulmanos.

Os novos protestos têm lugar um dia depois de mobilizações que degeneraram no Estado de Uttar Pradesh, no norte do país, resultando na morte de onze pessoas, entre as quais uma criança de 8 anos. O mais populoso Estado da Índia conta com 200 milhões de habitantes, 20 por cento dos quais são muçulmanos.

As manifestações, que se repetem há dez dias em vários pontos do país, fizeram até ao momento 20 vítimas mortais.

A oposição indiana afirma que os motins registados durante os protestos são consequência de uma “repressão brutal” por parte do poder nacionalista hindu. *Euronews