O Equador entregou quase 11.000 vistos de exceção por motivos humanitários a cidadãos venezuelanos   desde agosto passado, informou o Ministério de Relações Exteriores e Mobilidade Humana neste sábado. (28).

Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores explicou que, entre 19 de agosto e 26 de dezembro deste ano, emitiu um total de 25.780 vistos a favor dos cidadãos venezuelanos.

Desses, 10.976 correspondem a vistos de exceção por motivos humanitários (VERHU), emitidos no âmbito do processo de regularização de cidadãos venezuelanos estabelecido por um decreto executivo de 26 de julho de 2019.

Em 26 de outubro deste ano, quando o processo de regularização começou, 2.824 vistos foram concedidos por razões humanitárias através dos consulados de Caracas (Venezuela), Bogotá (Colômbia) e Lima (Peru).

O restante corresponde a vistos excepcionais por razões humanitárias concedidos através da coordenação zonal e do Centro de Emissão de Vistos de Exceção (CEVE).

Em seu comunicado, o Ministério das Relações Exteriores destacou que existem pedidos de visto que foram rejeitados por várias razões, entre as mais recorrentes estão o registro incorreto de nomes ou sobrenomes, datas de nascimento ou problemas ao fazer o upload de documentos digitalizados. para a plataforma Consulado Virtual.

O processo de emissão do visto de exceção por razões humanitárias, de acordo com os regulamentos, será concluído em 31 de março de 2020.

Portanto, o Ministério das Relações Exteriores convidou os cidadãos venezuelanos a realizar os procedimentos correspondentes antes do caso e a utilizar esse mecanismo criado pelo Governo Nacional, presidido por Lenin Moreno, para que eles possam acessar uma migração segura, ordenada e regular .

O processo pode ser acessado através do site www.consuladovirtual.gob.ec e, em relação ao censo de registro ou imigração, esse processo corresponde exclusivamente ao Ministério do Governo, através do portal https: //registro.migracion.gob .ec, detalhado no resumo do Ministério das Relações Exteriores.

Após a situação econômica e política na Venezuela, mais de 4,5 milhões de habitantes tiveram que deixar seu país desde 2015, segundo a ONU.

O Equador, segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), recebeu 263.000 venezuelanos. *Venepress