A família do homem de Nova York que  esfaqueou cinco pessoas com um facão em uma celebração de Hanukkah no sábado à noite denunciou o crime e disse que ele tem problemas de saúde mental e não tem vínculos com nenhum grupo de ódio.

“Grafton Thomas tem uma longa história de doença mental e hospitalizações”, disse a família em comunicado divulgado na noite de domingo. “Ele não tem histórico de atos violentos e nem condenações por nenhum crime. Ele não tem histórico conhecido de anti-semitismo e foi criado em uma casa que abraçava e respeitava todas as religiões e raças. Ele não é membro de nenhum grupo de ódio.”

Thomas, 38 anos, foi indiciado no domingo e acusado de cinco acusações de tentativa de assassinato e uma de roubo, disse a polícia. Ele se declarou inocente e está detido sob fiança de US $ 5 milhões na cadeia de Rockland County.

A polícia disse que Thomas foi preso no Harlem coberto de sangue depois de se afastar da cena.

Uma testemunha havia dado às autoridades o número da placa do suspeito. Portanto, quando os leitores da placa indicaram que o Nissan Sentra cinza de 2015 estava no Harlem, os policiais vasculharam bloco por bloco até Thomas ser localizado.

A família de Thomas considerou o ataque um sinal de “profunda doença mental”.

O motivo do ataque ainda permanece incerto, embora o governador Andrew Cuomo se referisse a ele como “um ato de terrorismo doméstico”.

As facadas, ao norte da cidade de Nova York, ocorreram no final de duas semanas de aumento de ataques anti-semitas na cidade . O NYPD estava investigando nove ataques contra indivíduos judeus antes das facadas. Não está claro se algum deles está relacionado. *Com informações do site ABCNews