Neste domingo (29) o governo do presidente Nicolás Maduro, segundo um comunicado oficial,  afirma que o Brasil deu caráter de refugiados a “cinco terroristas”. Entretanto, o governo Maduro não apresentou provas dessa acusação. Tampouco o Itamaraty confirmou ter concedido status de refugiados aos militares.

O governo venezuelano chama de “insólita” a suposta decisão do governo brasileiro de dar refúgio aos cinco militares.

“A República Bolivariana da Venezuela denuncia ante a comunidade internacional esta insólita decisão que confirma o padrão de proteção e cumplicidade de governos satélites dos Estados Unidos para agredir a paz da Venezuela através de mercenários que confessaram seus crimes, sobre os quais existe demonstrada convicção de provas, treinados, pagos e protegidos por governos de países vizinhos.”, destaca o portal G1.

O Itamaraty emitiu uma nota conjunta com o Ministério da Defesa, no último sábado, informando que os militares iniciariam os procedimentos para a solicitação de refúgio no Brasil, “a exemplo de outros militares venezuelanos em situação similar” no País.

Os estrangeiros foram recebidos no sábado pela “Força Tarefa Logística Humanitária Operação Acolhida”, que acolhe imigrantes na fronteira.

Os  militares são acusados pelo assalto ao Batalhão 513 na semana passada.  O site Infobae informou na semana passada, que o assalto ao Batalhão de Infantaria Selva Mariano Montilla não pode ser considerado um levante militar ou uma tentativa de golpe, mas sim uma tentativa de reaver uma mina de ouro na região, que fica na fronteira com o Brasil.