A violência antissemita aumentou nos EUA na última meia década e, em particular, na cidade de Nova York, que tem a maior população judaica fora de Israel. 

France 24 visitou Crown Heights, no Brooklyn, um bairro judeu predominantemente ortodoxo, e descobriram que os habitantes locais estão determinados a resistir ao ódio.

Dados da polícia mostram que 421 crimes de ódio foram cometidos na cidade de Nova York em 2019. Desses crimes, mais da metade foram ataques antissemitas . 

Dezembro foi um mês particularmente violento para judeus em Nova York e na região de Nova Jersey, com um tiroteio em um supermercado Kosher em Jersey City que deixou quatro pessoas mortas, um ataque aos judeus ortodoxos em Monsey, Nova York e dezenas de incidentes contra judeus ortodoxos no Brooklyn.

Os habitantes locais estão na defensiva. “Não vamos sentar como ovelhas no matadouro”, disse um morador.

Alguns estão até se armando com spray de pimenta.

Há também uma presença policial crescente na área e o grupo de vigilantes The Guardian Angels está patrulhando as ruas todos os dias. *France24