O primeiro-ministro interino de Israel, Benjamin Netanyahu, elogiou o presidente dos EUA, Donald Trump, por autorizar o ataque com drones que matou Qasem Soleimani, o poderoso comandante da força Quds do Irã.

Em seu discurso em uma cúpula em Jerusalém, Netanyahu disse que Soleimani está por trás da morte de “incontáveis” inocentes e semeou “medo, miséria e angústia” – e planejava fazer ainda pior.

Portanto, a decisão de Trump no ataque deve ser elogiada, disse Netanyahu, falando horas depois do Irã lançar cerca de 22 mísseis balísticos em duas bases que hospedam tropas americanas no Iraque.

Ele também disse que Israel defendia os EUA e que Washington não tinha melhor amigo que Israel – e alertou que um “golpe retumbante” se seguiria se o Irã atacasse o estado judeu.

“Quem nos atacar receberá um golpe retumbante”, disse o primeiro-ministro em uma conferência em Jerusalém, depois que o Irã lançou uma salva de mísseis retaliatórios sobre bases usadas pelas tropas americanas no Iraque.

Anteriormente, Netanyahu foi citado como tendo dito que, apesar de apoiar o ataque, Israel não fazia parte da história até o assassinato de Soleimani – e não deve ser arrastado para ela .

Relatórios anteriores também sugeriram que os EUA avisaram Israel sobre a próxima operação contra o comandante da força Quds.

Falando diante de Netanyahu, o enviado enviado dos EUA a Israel David Friendman disse que não houve vítimas dos EUA no ataque iraniano na quarta-feira.  *i24News