O deputado federal Bibo Nunes (PSL-RS) criticou em mensagem no Twitter na sexta-feira (10) a decisão do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli, que derrubou a censura contra o especial de fim de ano do grupo Porta dos Fundos e veiculado pela Netflix.

O filme, disponibilizado para os usuários da plataforma, mostra Jesus como um homossexual que se envolve com Lúcifer, além de Maria trair José com Deus.

“Eu quero saber se for produzido um filme pela produtora Porta dos Fundos, mostrando o presidente do STF como gay e os outros ministros como viciados em cocaína, se vão aceitar como cultura?”, questionou o deputado.

Em seguida o deputado pergunta “se vão querer impedir que a Netflix exiba o filme”. Ao final, sugere: “façam esse filme”.

Nas redes sociais, especialmente no Twitter e Facebook, há diversas críticas à Porta dos Fundos e também à Netflix pela divulgação do filme.

Muitos questionamentos estão sendo dirigidos aos produtores do filme, se teriam coragem de fazerem um filme sobre o Islã, cujas repercussão e consequências seriam inimagináveis por parte dos muçulmanos. *Com portal R7