O comandante da Guarda Revolucionária Iraniana, o general Amir Ali Hajizadeh, assumiu em nome da sua unidade “total responsabilidade” pelo abate, acidental, do avião comercial ucraniano. O “Mea Culpa” foi feito durante um discurso, transmitido pela televisão estatal iraniana, este sábado.

O comandante da Força Aeroespacial da Guarda Revolucionária, general Amir Ali HajizadehO comandante da Força Aeroespacial da Guarda Revolucionária, general Amir Ali Hajizadeh

Uma hora antes, o líder supremo do Irã apresentava as condolências às famílias das 176 vítimas mortais da queda da aeronave da Ukraine International Airlines, nas proximidades de Teerão. O aiatola Ali Khamenei pedia uma investigação ao sucedido e o apuramento de responsabilidades.

As Forças Armadas iranianas, e o próprio presidente Hassan Rohani, tinham reconhecido, este sábado, que, acidentalmente, abateram o avião. O presidente do Irão dizia ter-se tratado de um “lamentável” e “imperdoável” “erro humano”.

A aeronave tinha partido da capital iraniana rumo a Kiev. Caiu pouco depois de descolar. As 176 pessoas que seguiam a bordo, entre passageiros e tripulação, morreram.

Os militares iranianos dizem agora que confundiram o avião comercial com um alvo hostil depois de terem lançado um ataque com mísseis balístico contra duas bases que abrigam tropas dos EUA, no Iraque.

A aeronave foi abatida por mísseis iranianos no meio da crescente tensão decorrente do ataque aéreo dos EUA que matou o principal general do Irão Qassem Soleimani.