No domingo (12), quatro mil e quinhentas pessoas inscreveram-se, mas, nas contas da Câmara Municipal de Lisboa, muitas mais responderam à chamada. No primeiro dia de Lisboa Capital Europeia Verde 2020, vinte mil árvores foram plantadas em quatro zonas da cidade.

A autarquia quer plantar mais oitenta mil até ao final do ano.

Fernando Medina, presidente da Câmara da cidade, explica que “a plantação de árvores ajuda a combater um dos efeitos mais negativos das alterações climáticas e do aquecimento global que é a onda de calor”, acrescentando que a experiência mostra que “sempre que se fazem zonas de plantação como estas, a temperatura nas imediações pode baixar entre 3 a 5 graus centígrados.”

Ao plantar árvores num soalheiro dia de inverno, a população de Lisboa respondeu aos desafios lançados este sábado pelo secretário geral da ONU e pelo vice-presidente da Comissão Europeia.

Lisboa torna-se a primeira Capital Verde Europeia do Sul da Europa! Tmmermans agradece aos jovens por colocarem as alterações climáticas na agenda.

Para António Guterres, secretário-geral da ONU, “Neste ano de 2020 temos de provar que queremos acabar com a guerra que a humanidade iniciou contra a natureza.

Lisboa é a capital verde da Europa, um estatuto que já teve impacto em cidades como Copenhague, Estocolmo e Oslo. A capital portuguesa quer que este ano seja o ponto de partida para uma nova realidade.

O objetivo é ser uma cidade europeia de referência em termos de mobilidade em 2030, com a redução das viagens em automóvel de 57% para 33%. A meta da neutralidade carbônica está posta em 2050. *Euronews