Após semanas parado, processo entra na segunda fase. Julgamento deve começar na próxima semana. Expectativa é o presidente ser absolvido pela maioria republicana do Senado.

A expectativa agora é que a segunda fase do processo de impeachment – o julgamento dos dois artigos – comece já na próxima semana, concluindo-se no início de fevereiro. Caberá aos senadores decidir se o presidente é culpado ou não, e se deve ser ou não afastado. Esse será o terceiro julgamento de impeachment contra um presidente na história dos EUA.

Após o anúncio pela Câmara, um membro da Casa Branca disse à rede CNN que “já estava na hora” de o processo voltar a andar, sinalizando que o governo Trump deseja liquidar o assunto rapidamente. A expectativa é que ele seja barrado no Senado, com uma maioria republicana alinhada com o presidente. No Senado, são necessários dois terços dos votos para afastar o presidente. Os republicanos detêm 53 das 100 cadeiras da Casa.

Trump é acusado de abuso de poder e obstrução dos poderes investigativos do Congresso. Em 18 de dezembro, as duas acusações votadas separadamente foram aprovadas com folga na Câmara, de maioria democrata.

O caso envolve a suspeita de que Trump teria pressionado o governo da Ucrânia a investigar um adversário eleitoral, o ex-vice-presidente Joe Biden, pré-candidato à presidência pelo Partido Democrata. O republicano também é suspeito de tentar barrar esforços dos congressistas americanos para investigar as ações da Casa Branca.

Ao longo de 230 anos de história americana, a Câmara dos Representantes só aprovou o impeachment de dois presidentes. Em 1868, Andrew Johnson foi acusado de remover um ministro sem autorização do Senado. Em 1998, foi a vez de Bill Clinton ser acusado de perjúrio e obstrução da Justiça. Os dois, porém, foram absolvidos no Senado. Um terceiro presidente, Richard Nixon, renunciou em 1974 pouco antes de a Câmara votar acusações de obstrução da Justiça e abuso de poder. *Com informações da DW