O vice-presidente da República Hamilton Mourão participou nesta quarta-feira (15) da cerimônia de reinauguração da estação brasileira de pesquisa Comandante Ferraz, no Continente Antártico.

O vice-presidente destacou o papel da nova base para o desenvolvimento científico e para aspectos diversos, como a melhoria das atividades de previsão do tempo para o Brasil e a América do Sul.

“O plano de ação da ciência antártica para o Brasil terá melhores condições para desenvolver programas científicos que aumentem a participação brasileira no sistema do trabalho antártico, que envolve além do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e Fundação Oswaldo Cruz, de 13 universidades, contando com 250 pesquisadores”, comentou o vice-presidente.

O comandante da Marinha do Brasil, Ilques Barbosa, ressaltou a importância da presença brasileira por meio da reconstrução da base tanto para experiências científicas quanto para participar da governança da região.

“A base possibilitará a presença brasileira em uma plataforma sustentável que permitira conhecer melhor este enorme continente de características ímpares, bem como reafirmar compromisso do Brasil como membro consultivo do tratado para participar das decisões sobre os destinos dessa região”, pontuou.

Resultado de imagem para Estação Comandante Ferraz
O governo federal investiu cerca de US$100 milhões para reconstruir a estação Comandante Ferraz, que foi destruída após um incêndio de grandes proporções em 2012.

A nova estação tem 17 laboratórios e ocupa uma área de 4,5 mil metros quadrados. É considerada uma das mais modernas do continente gelado no extremo sul da América.

A nova estrutura abrigará projetos de pesquisa e experimentos de diferentes disciplinas. O início das pesquisas foi marcado pelo lançamento de um balão meteorológico. Os dados coletados vão ser aproveitados para a análise da dinâmica atmosférica do local e suas interações com a América do Sul. *Com informações da Agência Brasil.