A Microsoft disse nesta quinta-feira (16) que se tornaria “negativa em carbono” até 2030, como parte de um esforço intensificado da gigante tecnológica dos EUA para combater as mudanças climáticas.

A empresa disse que em 2050 todas as emissões de carbono que ele criou desde a sua fundação em 1975 seriam removidas do meio ambiente. 

A Microsoft, uma das empresas mais valiosas do mundo, disse em um post que é neutra em carbono desde 2012, mas que “a neutralidade não é suficiente para atender às necessidades do mundo” para combater os efeitos das mudanças climáticas.

Várias empresas de tecnologia, incluindo Google e Apple, se comprometeram com a neutralidade de carbono e a Amazon disse que alcançaria esse objetivo até 2040.

A empresa britânica Drax disse no mês passado que se tornaria a primeira empresa do mundo a ser negativa em carbono, ou remover mais dióxido de carbono da atmosfera do que cria, até 2030.

A Microsoft disse que investirá US $ 1 bilhão em um novo “fundo de inovação climática” em tecnologia para captura e remoção de carbono.

“Embora o mundo precise atingir zero líquido, aqueles de nós que podem se dar ao luxo de se mover mais rápido e ir além devem fazê-lo”, disse a Microsoft sobre sua iniciativa.

“Reduzir o carbono é para onde o mundo precisa ir, e reconhecemos que é isso que nossos clientes e funcionários estão nos pedindo para perseguir. Essa é uma aposta ousada – uma boa ideia – para a Microsoft. E precisará se tornar uma boa ideia para o mundo”. *i24NEWS – AFP