Os líderes mundiais devem viajar a Israel nesta semana para marcar 75 anos desde que o Exército Vermelho libertou Auschwitz, o campo de extermínio em que os nazistas mataram mais de um milhão de judeus.

Está programado para ser um dos eventos mais importantes já organizados por Israel, com mais de 40 líderes planejando desembarcar em Tel Aviv antes de assistir à sombria comemoração de quinta-feira no centro memorial do Holocausto Yad Vashem em Jerusalém.

Milhares de policiais e outras forças de segurança serão mobilizados a partir de terça-feira, antes da chegada de dignitários, incluindo o presidente russo Vladimir Putin, o presidente francês Emmanuel Macron e o vice-presidente dos EUA Mike Pence.

Macron deve conhecer o primeiro-ministro israelense e o líder do partido Blue & White, Benny Gantz.

A geopolítica do Oriente Médio estará firmemente na agenda, com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, que deve realizar numerosas reuniões bilaterais com os principais líderes.

“Vou conversar com eles sobre o Irã, vários desenvolvimentos na região e o fortalecimento das relações entre os países”, afirmou ele no domingo, no início de uma reunião do gabinete.

Macron deve se reunir com o primeiro-ministro israelense e com o ex-chefe do exército Gantz.

Macron também se encontrará com seu colega israelense Reuven Rivlin, que na quarta-feira à noite receberá cerca de 40 delegações estrangeiras em sua residência em Jerusalém.

Os preparativos para o jantar já estavam em andamento no domingo, disse um jornalista da AFP. *Com i24NEWS – AFP