O ministro das Relações Exteriores da Argentina, Felipe Solá,  disse nesta quarta-feira em Brasília que as posições do governo de Alberto Fernández em relação à Venezuela não estão muito longe das defendidas pelo presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

Nesse sentido, Solá explicou aos jornalistas que, mesmo com nuances, Argentina e Brasil estão comprometidos com uma saída negociada da crise venezuelana.

“Não somos favoráveis ​​a Maduro. Somos favoráveis ​​à democracia e democracia significa cumprir condições”, afirmou Solá.

Por sua vez, o porta-voz do país sul-americano ratificou que a Argentina não deixará o Grupo de Lima, formado por uma dúzia de países que se opõem a Maduro e que reconhecem Guaidó. Além disso, ele confirmou sua presença em uma reunião de ministros das Relações Exteriores que o Grupo Lima reunirá em 20 de fevereiro.

“Estaremos sempre no grupo Lima, porque sair dos lugares não ajuda a resolver nada”, afirmou o ministro das Relações Exteriores da Argentina. *Venepress