A Turquia atacará as forças do regime sírio “em todos os lugares” se seus soldados forem atacados de novo, alertou o presidente Recep Tayyip Erdogan nesta quarta-feira, enquanto também acusa a aliada de Damasco da Rússia de cometer “massacres” em Idlib.

As ameaças de Erdogan seguem confrontos diretos entre as forças do regime turco e sírio nos últimos 10 dias, o que também estreitou suas relações com Moscou, o principal patrocinador do presidente Bashar al-Assad.

A Turquia reforçou suas posições em Idlib – o último bastião rebelde da Síria – com centenas de veículos carregando comandos, obuses e soldados atravessando a fronteira nos últimos dias. 

“Declaro que atacaremos as forças do regime em todos os lugares a partir de agora, independentemente do acordo de Sochi, se houver algum dano a nossos soldados nos postos de observação ou em outros lugares”, disse Erdogan em uma reunião de seu partido no parlamento. 

Ele disse que 14 turcos foram mortos e 45 feridos pelo bombardeio do regime em Idlib desde 3 de fevereiro.

As forças de Assad, apoiadas por ataques aéreos russos, avançaram com uma ofensiva para retomar a província de grupos rebeldes, apesar do acordo de cessar-fogo de Sochi em 2018 acordado entre a Turquia e a Rússia.

“O regime, apoiado por forças russas e militantes apoiados pelo Irã, está continuamente atacando civis, cometendo massacres e derramando sangue”, disse ele, acrescentando que a Turquia faria “o que for necessário” para empurrar as forças sírias para trás dos 12 postos de observação estabelecidos. em Idlib sob o acordo de Sochi. *i24News