“Haze” é o nome da primeira grande exposição individual nos Estados Unidos da América do artista português Alexandre Farto, mais conhecido por ‘Vhils’.

Com diversos trabalhos espalhados por várias cidades norte-americanas, ‘Vhils’ reúne no Cincinnati Contemporary Arts Center projetos novos e antigos, numa síntese do percurso de mais de uma década.

A mostra do artista, de 33 anos, ocupa dois andares do edifício e distribui-se por diferentes suportes: da parede recriada com explosivos a composições em gesso cartonado, passando pelas icónicas portas de madeira e instalações imersivas em vídeo.

Siga Avante Mundo no Facebook e Twitter

Um corpo de trabalho em que ‘Vhils’ reflete a preocupação com o desenvolvimento tecnológico e urbano e o impacto nas identidades culturais.

“É uma reflexão sobre a condição humana nas urbes e no mundo, e a sua sustentabilidade nos dias de hoje. Mas, acima de tudo, nesta ideia de ‘Haze’, é uma reflexão de como chegámos aqui, onde estamos neste momento e todo o impacto das transformações que estão a acontecer no mundo inteiro: o impacto da globalização, da tecnologia e as grandes questões da sustentabilidade”, afirmou o artista português, em declarações à RTP.

Dos ‘graffitis’ com que se iniciou nas ruas, ‘Vhils’ evoluiu para outras técnicas mais elaboradas.

Algumas das suas obras já desapareceram ao longo do tempo, como os rostos que tenta imortalizar, num trabalho efémero que se liga com a natureza do próprio centro, desenhado pela conceituada arquiteta iraquiana-britânica Zaha Hadid.

A exposição de ‘Vhils’ está já disponível ao público no Cincinnati Contemporary Arts Center e pode ser vista até ao dia 06 de julho. *Euronews