Em matéria do jornal italiano Corriere della Sera, Walter Ricciardi, membro do Comitê Executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS), disse que “o alarme deve ser reduzido, 95% dos infectados voltam sem problemas”. 

Conforme Ricciardi, o coronavírus é quase sempre curado. A cada dia que passa, torna-se mais importante reduzir o alarme, conter a disseminação de medos desnecessários que alimentam uma psicose em massa injustificada.

O coronavírus é assustador, porque até ontem houve novos casos, tanto dos infectados (estamos em 322) quanto das mortes (subindo para 11). No entanto, na grande maioria dos casos, isso não leva à morte, mas à recuperação completa, destaca Ricciardi.

Walter Ricciardi e o assessor do Ministro da Saúde Roberto Speranza, dizem que os primeiros casos de pessoas afetadas pelo vírus agora estão completamente restaurados.

“Temos que reduzir esse grande alarme”, disse Walter Ricciardi durante uma conferência de imprensa na Proteção Civil ontem à tarde. Claro, ele continuou, é “bom não subestimar”, mas “a doença deve ser colocada nos termos certos: de 100 pessoas doentes, 80 se recuperam espontaneamente, 15 têm problemas sérios, porém gerenciáveis, no ambiente de assistência médica e, portanto, se recuperam, 5% são graves, mas desses 5%, apenas 3% morrem.

E, de qualquer forma, todas as pessoas falecidas, conclui Ricciardi, “eram pessoas com sérios problemas de saúde devido a suas patologias anteriores”.