Os EUA informaram nesta terça-feira que mataram o terrorista do grupo jihadista somali Al Shabab, que planejou o ataque de janeiro a uma base militar no Quênia, na qual um soldado dos EUA e dois contratados do Departamento de Defesa foram mortos.

Em uma declaração, o Pentágono publicou que, em 22 de fevereiro, as forças americanas executaram um dos terroristas que planejaram o ataque à base queniana conhecida como Manda Air Strip , localizada no sudeste do país (perto da fronteira com a Somália) e usado por tropas locais e americanas.

No ataque americano, também morreu a esposa do suposto terrorista, que, segundo Washington, também era membro do Al Shabab.

Os dois terroristas foram identificados como altos funcionários do Al Shabab. Um deles ficou encarregado de planejar e dirigir as operações terroristas na área da fronteira com o Quênia, que inclui um ataque recente a Manda. O outro, sua esposa, também foi um membro ativo do Al Shabab responsável por facilitar uma ampla gama de atividades terroristas “, afirmou o Pentágono.

O governo dos EUA não revelou o nome dos supostos terroristas que morreram e também não detalhou se eles foram executados por meio de um ataque por drone, como costuma ser nesses casos. *Venepress