Lobos, ursos e linces protegidos na Eslovênia e Croácia com apoio da UE

Na Eslovênia e na Croácia, há milhares de ursos, centenas de lobos e mais de cinquenta linces. Durante anos, várias espécies estiveram em perigo devido às atividades humanas.

A euronews visitou o Parque Nacional de Risnjak, nos Alpes Dináricos, onde trabalha a gestora do projeto europeu transfronteiriço Carnivora Dinarica. A iniciativa visa proteger os três carnívoros selvagens que vivem na região e melhor a respetiva coexistência com os humanos.

“Pode ser uma raposa ou um lobo. Os animais selvagens, em particular os lobos, gostam de percorrer uma linha reta”, explicou Dina Botta, gestora do projeto europeu Carnivora Dinarica.

euronewsDina Botta, gestora do projeto europeu Carnivora Dinarica                                                    Boas práticas para viver com os lobos

A quinta de Tomaz Volk foi distinguida pela exemplaridade das suas práticas. O agricultor esloveno tem dezasseis cavalos e um rebanho de cabras e ovelhas que são alvos potenciais de ataque por parte dos grandes carnívoros. Para evitar o perigo, durante o verão, a quinta instala uma cerca elétrica de um metro e setenta.

“É muito importante que a cerca esteja sempre eletrificada, mesmo se os animais não se encontram no local. Porque os grandes carnívoros memorizam as descargas elétricas que recebem quando tocam a cerca e já não se aproximam para atacar o rebanho”, explicou Tomaz Volk.

euronewsTomaz Volk, agricultor esloveno que ajuda a proteger os animais selvagens                           A relação entre cães e lobos

A euronews visitou outra quinta eslovena, em Pivka, onde os animais são protegidos por meios de cães treinados para o efeito. “Há perigo, o ano inteiro, devido aos lobos. Eu tenho cães que assustam os lobos. O lobo é demasiado inteligente para lutar com um cão grande. O raciocínio dele deve ser: porquê lutar com um cão por um pedaço de carne se posso consegui-lo na natureza sem ter de lutar com o cão?”, contou Ales Sedmark, treinador de cães.

Para os especialistas em vida selvagem, o medo surge quando não se conhece bem o comportamento dos animais selvagens. “É preciso ter bons conhecimentos na área da biologia e da ecologia para perceber estas espécies, de modo a podermos coexistir da melhor forma”, concluiu Dina Botta.

euronewsAles Sedmark, treinador de cães                                                                                                        O apoio da Política de Coesão Europeia

O projeto transfronteiriço recebeu dois milhões e trezentos mil euros para realizar uma dezena de ações no terreno. 85% do orçamento é financiado pela política de coesão europeia, 15% fica a cargo das várias entidades envolvidas no projeto. *Euronews

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.