O cientista britânico vencedor do prêmio Nobel de química em 2013, Michael Levitt, afirma que a pandemia Covid-19 não apresenta risco para a maioria das pessoas e que elas são naturalmente imunes.

Michael Levitt, biofísico americano-britânico-israelense que ganhou o prêmio Nobel de química de 2013 por “desenvolvimento de modelos em várias escalas para sistemas químicos complexos”, tornou-se um nome familiar na China nos últimos meses.

Em matéria do jornal The Jerusalem Post, Levitt previu com precisão a desaceleração da propagação do vírus em fevereiro, dando esperança às pessoas afetadas pelo bloqueio.

O cientista explica que as pessoas, conforme são infectadas e sobrevivem à doença, começam a ficar imunes ao vírus. Imaginando que uma grande parte delas já se recuperou (são mais de 80 mil, segundo a OMS), a curva do contágio entra em queda.

Sua conclusão é de que as pessoas são naturalmente imunes e casos como os da Itália, onde mais de 2,5 mil pessoas morreram e outras 31 mil estão infectadas, se alastram em função do estilo de vida da população e do alto número de idosos, os mais afetados pela pandemia.