O presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó , anunciou a entrega de 20 milhões de dólares de “contas resgatadas pelo governo encarregado” a organizações internacionais pela atenção no país da pandemia de Covid-19.

Esse auxílio, como ele explicou, “permitirá o fornecimento de equipamentos de proteção” aos profissionais de saúde, colaborará com a restauração do serviço irregular de água em alguns hospitais e fornecerá produtos como gel antibacteriano “que são extremamente necessários”.

O chefe da transição tornou uma condição “inalienável” que esses recursos “não passem pelo manuseio do usurpador ou de seus cúmplices”, alegando que “o Chavismo roubaria e extorquiria dinheiro como nos últimos anos”.

“Nenhuma organização financeira internacional séria emprestará os milhões necessários enquanto houver uma ditadura corrupta e um narcotraficante no poder … podemos obter apoio, mas as Forças Armadas devem remover os obstáculos”, continuou ele.

Por outro lado, indicou a nomeação dos deputados Carlos Berrizbeitia e Juan Pablo Guanipa para coordenar eventual ajuda internacional destinada a combater o vírus chinês no país.

Guaidó observou que o país não está preparado para uma pandemia, mas disse que está disposto a fazer “o que for necessário para parar o sofrimento” dos venezuelanos. 

Em uma transmissão de vídeo através de sua conta no Twitter, Guaidó descartou a intenção de iniciar um novo diálogo com o gabinete chavista. *Venepress