Mandetta critica uso da cloroquina em casos leves

Defendido por parte da classe médica e pelo presidente Jair Bolsonaro, o uso da hidroxicloroquina em pacientes com COVID-19 está baseado em experimentos na França e na China, que indicaram melhora no quadro de infectados.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, publicada nesta segunda-feira (18), o ex-ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, diz que  a “Ampliação do uso da cloroquina pode colapsar UTIs e provocar mortes em casa”.

Com críticas ao presidente da república, Mandetta diz que a insistência de Jair Bolsonaro na ampliação do uso da cloroquina para pacientes com quadro leve do novo coronavírus pode aumentar a ocupações de UTIs e provocar mortes em casa por arritmia.

Esta nova posição de Mandetta contraria a sua própria orientação à frente do ministério, quando autorizou o uso do remédio para casos leves.

Naquela ocasião, Mandetta ressaltou que “o Ministério ainda não garante a prescrição de cloroquina e hidroxicloroquina a pacientes leves ou assintomáticos da doença. Mas, caso o médico interprete que possa ser válida a receita, estaria liberado mediante responsabilidade sobre a decisão”.

 

Categorias:Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.