Palestinos irritados com a apatia dos líderes árabes pela oferta de soberania de Israel

A frustração e a raiva palestinas com o mundo árabe por sua indiferença geral ao plano de Israel de estender a soberania a grande parte da Judéia e Samaria e ao vale do Jordão estão crescendo, informou a Palestinian Media Watch no fim de semana.

Fontes diplomáticas disseram a Israel Hayom no domingo que oficiais de alto escalão do Egito, Arábia Saudita e vários países do Golfo Pérsico disseram a seus colegas israelenses que, embora precisem estar atentos ao que diz respeito à resposta de seus respectivos públicos, os governos não planejam tomar nenhuma ação contra Israel além das condenações declarativas. Até agora, o único líder árabe a se opor diretamente ao plano de Israel foi o rei Abdullah, da Jordânia, que explicou que, embora seja do interesse de Amã ter presença permanente de segurança israelense na fronteira ocidental entre os dois países, esse movimento pode provocar tumultos. isso ameaçaria a estabilidade do governo da Jordânia, e é por isso que ele deve tentar contrariar a mudança nos níveis regional e internacional. Esse tipo de cautela no mundo árabe coincide com a mudança geral na política em muitos países árabes, que não descartam mais imediatamente a noção de normalização das relações com o estado judeu. A Arábia Saudita parou de negar que mantém uma cooperação diplomática e de inteligência nos bastidores com Israel, principalmente na busca de objetivos mútuos com relação ao inimigo comum dos dois países – o Irã; e apenas na semana passada, empresas dos Emirados Árabes Unidos assinaram um histórico acordo de parceria com empresas israelenses como parte da luta contra o coronavírus No geral, desde que a Primavera Árabe invadiu o Oriente Médio em 2011, derrubando governantes de longa data e mudando para sempre o cenário geopolítico, muitos líderes árabes têm estado ocupados estabilizando seus regimes e concentrando-se nos esforços de contraterrorismo. Essa mudança marginalizou a questão palestina em relação às agendas dos líderes árabes. Esses líderes não podem mais se dar ao luxo de priorizar o interesse palestino por si próprio, algo que Ramallah achou difícil de combater. Segundo a Palestinian Media Watch, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, ficou surpreso com o fato de que o sólido apoio que ele esperava receber dos líderes árabes pela oferta de soberania de Israel simplesmente não existe. Diante dessa inesperada indiferença, a Autoridade Palestina está pressionando todas as facções palestinas, assim como o mundo árabe, a lançar uma “jihad” – guerra santa – contra o Estado judeu, dizendo que eles devem “agir antes que seja tarde demais” usando propaganda no Mídia estatal palestina. *Israel Hayom

Categorias:Internacional, Política

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.