NBA reavalia programa de treinamento na China após acusações de abuso

A Associação Nacional de Basquete (NBA) disse que está reavaliando seu programa de treinamento na China, após alegações de abuso de jovens jogadores por funcionários locais e assédio a funcionários estrangeiros em uma instalação em Xinjiang.

Os comentários foram feitos após um relatório da ESPN que citou treinadores americanos sem citar nomes, dizendo que treinadores chineses batiam em jovens jogadores. Um técnico americano que trabalhava em um campo de treinamento em Xinjiang se queixou do assédio por parte da polícia local, informou a rede de esportes.

“As alegações no artigo da ESPN são perturbadoras”, disse o vice-comissário da NBA, Mark Tatum, em comunicado por e-mail à Reuters na quinta-feira. “Encerramos nosso envolvimento com a academia de basquete em Xinjiang em junho de 2019 e estamos reavaliando o programa da NBA Academy na China.”

Tatum disse que o programa, lançado em 2016, foi criado para fornecer suporte aos centros de desenvolvimento existentes na China, administrados pelas autoridades locais.

“Nosso papel se limitou a fornecer três treinadores em cada academia, nenhum dos quais foi acusado de ter se envolvido em alguma irregularidade”, disse ele.

A NBA recebeu um punhado de reclamações sobre maus-tratos a jogadores, e Tatum identificou quatro incidentes de tal abuso, disse um porta-voz da liga, confirmando elementos do relatório da ESPN.

A Administração Geral do Esporte da China, principal órgão esportivo do país, não respondeu aos pedidos de comentários na quinta e na sexta-feira. O Ministério das Relações Exteriores se recusou a comentar na quinta-feira, dizendo que as questões levantadas no relatório da ESPN não eram questões de diplomacia.

A China foi acusada de violar os direitos humanos na província ocidental de Xinjiang, incluindo trabalho forçado e mantendo pelo menos um milhão de uigures étnicos e outros muçulmanos em centros de detenção. A China nega essas acusações.

A situação da NBA na China, que tem sido seu mercado mais importante no exterior, deteriorou-se bastante desde o final do ano passado, depois que o gerente geral do Houston Rockets, Daryl Morey, manifestou apoio aos protestos pró-democracia em Hong Kong. A televisão estatal de Pequim retirou os jogos da NBA de seus canais. Não está claro se os jogos serão exibidos novamente.

A liga retomou o jogo na sexta-feira pela manhã, horário da Ásia, pela primeira vez desde março, depois de uma paralisação pela pandemia do COVID-19.

(Reuters)

Categorias:Esporte, Internacional, Política

Marcado como:, ,