Benim restaura marco histórico do tráfico de escravos

A cidade hoje conhecida como Ouidah, no Benim, foi batizada Ajudá pelos portugueses. Foi aqui, no século XVII, que foi construída a Fortaleza de São Batista de Ajudá, um edifício que ficou na história pelas razões mais tristes. Daqui partiram milhares de escravos para a América, traficados pelos portugueses, ingleses e franceses.

As autoridades do Benim decidiram restaurar este edifício, num esforço de perpetuar a memória para as próximas gerações.

Eric Accrombessi, guia turístico, diz que “Ouidah é a cidade mais marcada pela história, em termos de esclavagismo e por isso mesmo todos, não só os movimentos de defesa da causa negra, acreditam que lugares como este têm de ser restaurados, para que a história não seja esquecida”.

O chamado “portão do não-retorno” é a parte mais simbólica da fortaleza. Depois de passarem por aqui, os escravos tinham a praia, onde os esperavam os navios negreiros que os levavam, em condições desumanas, para o outro lado do Atlântico. *Euronews

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.