Nascimento recorde de bebês gorilas com risco de extinção em Uganda

O Parque Nacional Bwindi na Uganda está experimentando uma explosão no nascimento de bebês sem precedentes na população de gorilas. Sete bebês nasceram até agora este ano, em comparação com dois em todo o ano de 2019, de acordo com as autoridades. Cinco dos bebês gorilas nasceram em apenas seis semanas, de 22 de julho a 31 de agosto, disse Bashir Hangi, porta-voz da Autoridade de Vida Selvagem de Uganda (UWA), à CNN na quinta-feira.

Hangi disse que não havia uma razão clara para que houve uma súbita onda de nascimentos, mas descartou qualquer efeito das medidas de bloqueio do coronavírus porque os gorilas têm um período de gestação de cerca de nove meses. No entanto, a UWA acredita que seus esforços para adotar uma abordagem consistente de conservação, patrulhas anti-caça ilegal, uma equipe veterinária 24 horas por dia e monitoramento 24 horas por dia, 7 horas por dia estão trazendo bons resultados.

Dos cinco nascimentos mais recentes de gorilas, dois são do mesmo grupo de gorilas e três são de grupos diferentes. Em média, Uganda normalmente registra um ou dois nascimentos por ano, disse Hangi. O mais novo nascimento foi de uma gorila de 18 anos chamado Ruterana, tornando-se seu terceiro filho, de acordo com um comunicado da UWA publicado na terça-feira. Infelizmente, seu primeiro bebê, nascido em 2012, morreu de pneumonia com apenas duas semanas de idade. A mesma família de gorilas recebeu outro recém-nascido no final de agosto. Sua mãe, Kibande, é a mais idosa da família e agora tem cinco filhos.

(CNN)